Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Conhecendo os Museus RS’ Category

Promotora Ana Marchesan em visita ao Museu de Ciências Naturais do Rio Grande do Sul

A promotora do Meio Ambiente de Porto Alegre, Ana Marchesan, realizou, na manhã desta quarta-feira, 22, vistoria nas coleções do Museu de Ciências Naturais do Estado do Rio Grande do Sul, tendo em vista a possível extinção da Fundação Zoobotânica e de seus equipamentos vinculados.

Acompanhada da assessora historiadora do MP, Cintia Vieira Souto, e de representantes do Conselho Federal e Estadual de Museologia, a promotora constatou o “incrível trabalho de memória científica desenvolvido há anos pelos pesquisadores das mais diversas áreas e a importância que ostentam para programas de conservação da biodiversidade e do meio ambiente como um todo, sem falar na relevância como fonte para trabalhos científicos”.

Foram vistoriadas as coleções de insetos, plantas vasculares e líquens, algas (ficologia), poríferos, entomologia (insetos), malacologia (moluscos), ictiologia (peixes), erpetologia (répteis e anfíbios), ornitologia (pássaros), mamíferos (mastozoologia), paleontologia e o serpentário.

Conforme Ana Marchesan, o trabalho foi realizado tendo em vista a ação civil pública ajuizada em fevereiro de 2017 contra o Estado do Rio Grande do Sul com o objetivo de preservar o patrimônio cultural e natural do Museu de Ciências Naturais e do Jardim Botânico.

“Os trabalhos do Museu são relevantes ainda para questões ligadas à saúde da população, pois os venenos extraídos das serpentes vivas que lá estão são usados para fabricação de soro antiofídico e outros medicamentos”, ressaltou a Promotora, lembrando que há também um patrimônio genético catalogado no Museu.

Afora as coleções históricas (recebidas prontas pelo Museu), todas as demais são coleções vivas, ou seja, continuam recebendo diuturnamente materiais novos para estudos e catalogação, necessitando de curadoria permanente.

Ana Marchesan avalia que a perda parcial ou total desse acervo representará danos incomensuráveis à memória científica não só nacional como até internacional. “O Museu recebe consultas e estabelece intercâmbios com diversas instituições estrangeiras como o Museu Britânico e o Museu de História Natural de Berlim”, destacou ela.

Fonte: Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul

Anúncios

Read Full Post »

Visando promover o turismo cultural no Rio Grande do Sul, iniciamos a segunda parte sobre o Conhecendo os Museus RS com o Museu Olívio Otto. O Blog têm a iniciativa de divulgar e promover os acervos e instituições museológicas do Estado, tendo como característica básica, fornecer um Raio X das instituições para os turistas que os visitam.

Museu Olívio Otto

Localizado em Carazinho, na principal avenida do município, muito próximo a prefeitura.  Carazinho está localizado entre os entroncamento da Br 285 e da BR 386, há 286 km de Porto Alegre. Devido a sua localização geográfica, faz com que se tenha um grande fluxo de veículos nessa região.  Para quem esta de viagem e passa por um desses pontos, uma boa ideia é entrar na cidade e conhecer alguns de seus pontos turísticos, dentro os quais destacamos o Museu Olívio Otto.

A história do Museu se inicia no ano de 1957, quando do falecimento de Antonio Carlos Otto (Negrão), filho de Olívio Otto, vitimado em um acidente de avião. Da aeronave “Paulistinha”, restou uma ponta de asa, recolhida pelos familiares e guardada pelo pai, que junto aos demais pertences do filho, deram início à coleção particular.

Em 1972, a coleção, já com cerca de 6 mil peças, passa à institucionalização, sob responsabilidade da prefeitura de Carazinho com a denominação de Museu Regional do Planalto. Com o aumento significativo do acervo, em 2008, o Museu é reinaugurado em um novo espaço, mais adequado para a guarda exposição do acervo.

O museu tem seu acervo divido em dois grandes núcleos.  Núcleo de história e cultura e o Núcleo de Ciências Naturais que possui em seu acervo representantes da fauna, flora e minerais que são registros permanentes da biodiversidade.

Exposição de longa duração, Núcleo de História e Cultura

Exposições em andamento

Recortes Históricos de Carazinho

Exposição de longa duração composta por 12 nichos, que com objetos, textos e imagens, abordam aspectos diversos da história econômica, política, social e cultura da cidade.

Arte Sacra

Através de objetos, texto e imagens este espaço pretende tratar da “arte religiosa” que vai além das imagens católicas, que conhecemos geralmente como “arte sacra”, e abrange todas as formas de representação relacionadas a qualquer crença, culto ou rito vinculado às divindades, às forças sobrenaturais, ao intangível e ao desconhecido.

 Olívio Otto

Museu Olívio Otto: Um museu em movimento – em objetos, textos e imagens pretende trazer ao público as idéias preliminares de museu, desde quando Olívio Otto o criou, até o trabalho ampliado e revisado do momento atual.

Exposições Temporárias

SÉRIE COLEÇÕES

O Museu Olívio Otto desenvolveu o projeto “Série Coleções” que visa aproveitar a sala de exposição temporária para expor o acervo de colecionadores, que possuem coleções em suas propriedades.

Tipologia: Histórico e Ciências Naturais

Entrada: Gratuita

Loja: Não

Bônus: O site possui visualização em 3d dos objetos.

Serviço:

Onde:
Av. Flores da Cunha, 1246 – Centro
CEP: 99500-000 – Carazinho/RS

Contato

Telefone: (54) 3331-2699 Ramal 152
E-mail: contato@museuoliviootto.com.br.br
Facebook: http://www.facebook.com/museuolivio
Site: http://museuoliviootto.com.br/

Read Full Post »

Visando promover o turismo cultural no Rio Grande do Sul, iniciamos a primeira parte sobre o Conhecendo os Museus RS com o Museu Julio de Castilhos. O Blog buscou a iniciativa de divulgar e promover os acervos e instituições museológicas do Estado, tendo como característica básica, fornecer um Raio X das instituições para os turistas que os visitam.

Museu Julio de Castilhos

DSC00721

Localizado em ponto estratégico de Porto Alegre, próximo à praça dos três poderes (Praça da Matriz) é o mais antigo Museu do Estado, criado em 1903 e instalado no casarão em 1905. Conta com um valiosíssimo acervo histórico, artístico e cultural, com peças, armas, indumentária, utensílios e documentos ligados à história e formação do estado gaúcho.

O Museu Julio de Castilhos (MJC) foi criado pelo decreto-lei no 589, de 30 de janeiro de 1903, pelo Presidente do Estado, Antônio Augusto Borges de Medeiros, denominado “Museu do Estado”. Em 1907, passou a chamar-se “Museu Julio de Castilhos”, em homenagem a esse ex-presidente do Rio Grande do Sul, falecido em 1903.

O prédio número 1231 foi construído em 1887, pelo Coronel Engenheiro Augusto Santos Roxo. Apresenta linguagem historicista com elementos neoclássicos, com fachada revestida em pedra grês lavrada. Em 1898, o prédio foi adquirido pela Comissão Executiva do Partido Republicano Rio-Grandense e doado ao Dr. Julio Prates de Castilhos que nele residiu até sua morte em 1903. Em 1905, a residência foi adquirida dos herdeiros pelo Governo estadual para nele instalar o Museu do Estado.

DSC00723

A aquisição da casa de número 1205 permitiu a ampliação dos espaços expositivos do Museu. O prédio original foi construído em 1893; porém, em 1916, foi demolido, dando lugar à nova residência de Sebastião Velho, em linguagem historicista com elementos ecléticos. Essa residência foi desapropriada pelo Governo do Estado através do decreto n° 2413, de 10 de outubro de 1975.

DSC00722

Destacam-se os acervos da Cultura Indígena, Missões Jesuíticas, Revolução Farroupilha, período escravocrata os primeiros anos da República Rio-Grandense. No pátio, encontram-se alguns canhões usados durante a Revolução Farroupilha.

O Museu também apresenta exposições temporárias e promove atividades culturais.

Exposições Temporárias em andamento:

Wolfang H. Harnisch Jr.: O labor do campo em destaque imagético.

A Pátina do Tempo

A Guerra de 1893

Matéria Dispersa

Aurélio Viríssimo de Bittencourt – A trajetória de um Afrogaúcho

Vídeo: Acesse aqui.

Tipologia: Histórico

Entrada: Gratuita

Possui loja? Sim. Lembranças como postais, canecas temáticas, livros e réplicas de quadros e lenços farroupilhas são vendidos na loja.

Bônus: O Museu possui o pátio dos canhões, uma área extensa e agradável onde os visitantes podem sentar, lanchar etc.

Pátio-do-Museu-Julio-de-Castilhos

Serviço: 

Visitação:
terças a sábados das 10h às 17h.
Visitas guiadas para escolas ou grupos:
de terças a sextas
mediante agendamento
Pesquisa: Mediante agendamento

Onde:
Rua Duque de Caxias nº 1231
Centro Histórico, Porto Alegre, RS.

Contato

Telefone: (51) 3221.3959 ou 3221.5946
E-mail: museu_juliodecastilhos@sedac.rs.gov.br
Facebook: http://www.facebook.com/museujuliodecastilhos
Site: www.museujuliodecastilhos.rs.gov.br

Read Full Post »