Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘1º Região Museológica’ Category

No sábado, 09 de abril, abrindo a programação expositiva da Sala dos Pomares | 2016, a Fundação Vera Chaves Barcellos inaugura Humanas Interlocuções.

Humanas Interlocuções apresenta uma contundente amostra estética da presença da figura humana na arte contemporânea pelo prisma de 54 artistas; entre brasileiros, latino-americanos, europeus, norte-americanos e orientais.

Fotografias, vídeos, impressões, litografias, colagens, objetos, serigrafias e xilogravuras integram o variado conjunto de obras, muitas delas exibidas na FVCB pela primeira vez. A curadoria é de Thaís Franco, responsável pelo acervo artístico da Fundação.

Abrangendo cerca de 50 anos de produção artística (de 1960 a 2016), a seleção de trabalhos tem como núcleo articulador o potente emprego do corpo pelos artistas: seja como suporte, seja como tema de investigação criativa; ou, ainda, como vetor de problematização da subjetividade em relação a diferentes esferas – simbólicas, políticas, sociais e culturais.

A mostra é constituída por segmentos temáticos postos em diálogo transversal, contemplando desde a construção do indivíduo; passando pelo corpo em sua potência comunicativa; o culto ao corpo em uma articulação entre as suas partes e particularidades; e, por fim, a massificação e dissolução da identidade.

Participam da mostra os artistas:
Afonso Roperto, Albano Afonso, Alex Vallauri (ORG), Angela Jansen, Anna Bella Geiger, Bárbara Wagner, Begoña Egurbide, Berna Reale, Breno Rotatori, Carla Borba, Carlos Asp, Carlos Wladimirsky, Carolina Gleich, Christian Cravo, Cia de Foto, Claudio Edinger, Claudio Goulart, Dario Villalba, Denis Masi, Edgardo Antonio Vigo, Eduardo Cruz, Efrain Almeida, Elcio Rossini, Fernando De Filippi, Flávio Damm, Flávio Pons, Haroldo Gonzalez, Hirosuke Kitamura, Hudinilson Jr., Ío, Iole de Freitas, Jason Evans, Jaume Plensa, João Castilho, Jürgen O. Olbrich, Leon Ferrari, Mara Alvares, Milton Kurtz, Patricio Farías, Paulo Bruscky, Paulo Nazareth, Rafael França, Ramon Rubio, Regina Silveira, Rintaro Iwata, Rogério Nazari, Romanita Disconzi, Sofia Martinou, Sol Casal, Susana Solano, Tony Camargo, Vera Chaves Barcellos, Vinicio Horta e Wilson Cavalcanti.

“Humanas Interlocuções” segue em cartaz até dia 16 de julho e terá uma intensa programação paralela.

EXPOSIÇÃO HUMANAS INTERLOCUÇÕES
ABERTURA: dia 09 de abril de 2016, das 11h às 17h

TRANSPORTE GRATUITO para o dia da abertura Porto Alegre – Viamão – Porto Alegre, com saídas às 11 horas e às 14 horas, em frente ao Theatro São Pedro (Praça da Matriz – Centro – Porto Alegre).
Inscrição pelo e-mail: info@fvcb.com| (51) 8102 1059

Visitação de 09 de abril a 16 de julho de 2016

Visitas sob agendamento prévio pelo telefone (51) 8229 3031 ou por e-mail: educativo@fvcb.com. De segunda à sexta-feira, das 14h às 17h30 e terças e sextas, das 9h às 12h.

Endereço: RS 040 | Av. Senador Salgado Filho, 8450 (pórtico de entrada ao lado do condomínio Buena Vista, altura da parada 54), VIAMÃO|RS.

Fonte: FVCB

Anúncios

Read Full Post »

Abertura Pinacoteca sábado

No próximo sábado, 26 de março, o público terá a oportunidade  de visitar a exposição “Um Diálogo de Séculos” que apresenta pela primeira vez um conjunto de peças greco-romanas datadas do século  VI a.C ao século V d.C. Esses mil anos de história inspiraram artistas gaúchos contemporâneos que apresentam em suas obras influências do período clássico. Todas estas peças, antigas e contemporâneas, pertencem à coleção particular do diplomata Fernando Cacciatore de Garcia. A Pinacoteca, por sua vez, também exibe uma exposição de parte do seu acervo no porão da Casa. Aliás, vale a pena conhecer este casarão familiar, representativo da elite porto-alegrense do século XIX, e que foi totalmente restaurado pelo Programa Monumenta. Esta abertura excepcional da Pinacoteca no próximo sábado integra o projeto “24 Horas de Cultura”, realizado em comemoração aos 244 anos de Porto Alegre.

Um Diálogo de Séculos: Porto Alegre, Grécia e Roma antigas

Visitação: 26 de março, sábado, das 10h às 15h Pinacoteca Ruben Berta – Rua Duque de Caxias, 973 acervo@smc.prefpoa.com.br, (51) 3289-8292

Read Full Post »

1934488_1079974002054192_9145690321333679527_n

A Secretaria de Estado da Cultura, por meio do Instituto Estadual de Artes Visuais (IEAVi), inaugura na próxima quinta-feira (28) duas exposições do 4° Prêmio IEAVi – Incentivo à Produção de Artes Visuais. As mostra “Arqueação”, de Rogério Severo, e “Outra Imagem”, de Natalia Schul, poderão ser visitadas até o dia 28 de fevereiro na Galeria Augusto Meyer e no Espaço Maurício Rosenblatt, respectivamente, no 3º andar da Casa de Cultura Mario Quintana. A entrada é franca.

Arqueação, de Rogério Severo, apresenta um arranjo construído com linhas tencionadas diretamente no espaço, que podem ser reconhecidas em caniços telescópicos e em estruturas de objetos náuticos, esqueletos, como canoas e caiaques. Estas linhas aparecem na maioria das vezes em forma de arco.

Clóvis Martins Costa, professor e artista plástico, no texto de apresentação da mostra, comenta: “(…) O gesto de arquear engendra uma tensão específica. Inflexão de uma força que se contrapõe à resistência de determinada natureza. (…) Do contato entre a lâmina d’água através da qual se espreita a possibilidade do abismo (as águas profundas) e o casco do barco, irrompe-se o espaço flutuante do desenho de Rogério Sever”.

Outra Imagem, de Natalia Schul, apresenta fotografias em preto e branco acompanhadas de um texto descritivo da imagem. A combinação de fotoperformances e encenações com os escritos visam uma reflexão sobre o impacto que a palavra e a imagem causam entre si.

O trabalho de ressignificação cria novas propostas e relações entre fotografias e textos, que se ramificam em outras criações cuja origem não é necessariamente aparente retirados de outras fontes, como as descrições de obras de Francesca Woodman, inventados pela artista ou criados a partir das outras obras, são parte de um jogo que sempre resulta em uma outra imagem.

Serviço: 
Abertura: 28 de janeiro de 2016 (quinta), das 19h às 21h
Local: Instituto Estadual de Artes Visuais – 3° andar da Casa de Cultura Mario Quintana (Rua dos Andradas, 736 – Centro Histórico de Porto Alegre)
Visitação: Até 28 de fevereiro de 2016, de terça a sexta, das 9h às 19h, e sábados, domingos e feriados, das 12h às 19h
Entrada franca

Read Full Post »

A Secretaria de Estado da Cultura, por meio do Museu de Comunicação Hipólito José da Costa (Musecom), abre no dia 29 de janeiro a exposição “Última Hora: Imagens de um acervo”. A solenidade está marcada para as 19h, no Musecom (Rua dos Andradas, 959 – Centro Histórico de Porto Alegre), com a presença de jornalistas que fizeram parte da história do Última Hora em Porto Alegre.

Até o dia 1º de abril, o público poderá conhecer 90 imagens produzidas durante as duas décadas de trajetória do jornal (1951 a 1971) que resgatam diferentes momentos da história brasileira.
​​​​
A exposição inaugurou no ano passado em São Paulo, passou pelo Rio de Janeiro e encerra na Capital gaúcha. O Musecom tem em seu acervo a única coleção da Última Hora editada no Rio Grande do Sul.
Sobre o jornal
O Última Hora foi fundado pelo jornalista Samuel Wainer, em 12 de junho de 1951. Além do Rio de Janeiro, era publicado em São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, Niterói, Curitiba, Campinas, Santos, Bauru e no ABC paulista.
Consolidou, durante toda sua existência, uma trajetória extremamente marcante sob diversos aspectos, entre os quais vale citar sua linha editorial inovadora, fundamentada no compromisso com a causa democrática e com a notícia. Sua grande inventividade estética e temática introduziu no país uma imprensa mais popular na linguagem e na forma gráfica.
Em 1989, o Arquivo Público do Estado de São Paulo adquiriu o fundo Última Hora, composto por uma coleção de periódicos, 2.140 ilustrações originais (charges, caricaturas e desenhos), 600.000 negativos fotográficos em preto e branco e 166.000 ampliações fotográficas em gelatina e prata sobre papel.
A coleção de ampliações fotográficas da Última Hora é o alvo desse projeto, patrocinado pela Petrobras. Por meio de uma parceria entre o Arquivo Público do Estado de São Paulo e a Associação Amigos do Arquivo, o acervo está sendo totalmente reorganizado, higienizado e acondicionado. O projeto também prevê a digitalização integral de todas as ampliações fotográficas. Inicialmente, estão disponíveis para consulta cerca de 40 mil documentos digitais no site http://www.arquivoestado.sp.gov.br/site/acervo/repositorio_digital/uh_imagens_de_um_acervo.
Serviço
Última Hora: Imagens de um Acervo
Abertura: 29 de janeiro, às 19h
Local: Museu Hipólito José da Costa
Endereço: Rua dos Andradas, 959 – Centro Histórico de Porto Alegre
Visitação até o dia 1º de abril, terças a sábados, das 9h às 18h.
Entrada: Gratuita
Fonte: Cultura RS

Read Full Post »

NA SALA NEGRA: 

ORGANIKA  CRISTINA DALLIGNA

ABERTURA 11/11/2015, às 19:30   VISITAÇÃO 12/10 a 11/12/2015, das14 às 20h.

Acompanho o trabalho da Cristina há muito tempo, percebendo um desenvolvimento e solidez em sua pintura com um vocabulário plástico contemporâneo e uma linguagem abstrata própria. Consegue mesclar elementos figurativos fazendo-se valer de um universo de formas e cores que imprimem sua identidade.  Texto de Fernando Baril

NA SALA ANEXA: 

ARTE EM CERÂMICA  

CLÁUDIO ELY (ORG), CHICO EMIR, CORINA MELLO, DENISE PICKLER, FÁBIO VASCONCELOS, GEOVANE SCHNEIDER, JVELLOSO, LIZ HELENA, LONI RIGOTTI, LU BRUM, LUCIANA VEIGA, MICHELLE BLOEDOW, MIRIELI COSTA, SANDRA RIBEIRO, SUZANA C. NEUBARTH TRINDADE E VIVIAN SIQUEIRA

ABERTURA 11/11/2015, às 19:30   VISITAÇÃO 12/10 a 11/12/2015, das14 às 20h.

A exposição tem como participantes alunos do Atelier Livre Xico Stogkinger da Prefeitura Municipal de Porto Alegre sob orientação do professor Claudio Ely. Este resultado mostra bem a diversidade de expressão cerâmica  na  qual reflete a missão e objetivos do Atelier Livre, que como instituição pública, recebe cidadãos com interesse no fazer artístico, atendendo as mais diversas expectativas. O conjunto de trabalhos apresentados podem ser divididos em fazeres distintos: os pratos são resultados de projeto para o aprendizado da técnica do “baixo -vidrado” do curso intermediário. Nos demais, mostram bem o desenvolvimento de uma linguagem pessoal, espelhando esta pluralidade de artistas alunos que o Atelier Livre recebe nos seus mais de 55 anos de existência.

NA SALA DO ARCO: 

ATUAL E PRESENTE: HOMENAGEM A VASCO PRADO  MARIO CLADERA (ORG), LECY FISHER, MARTA MAIOCCHI, PAULA DE CONTO, SONIA SEIBEL, SUSIE PRUNES, HELIO DE SOUZA.

ABERTURA 11/11/2015, às 19:30   VISITAÇÃO 12/10 a 11/12/2015, das14 às 20h.

Um ano após o centenário de nascimento do escultor gaúcho Vasco Prado, o grupo de artistas que da Oficina Livre de Escultura da Associação dos Escultores do Estado do Rio Grande do Sul, AEERGS, ministrada pelo artista Mario Cladera, apresenta um conjunto de trabalhos que expressam olhares e relfexões sobre a obra deste grande artista. Vasco Prado surge nos anos 40 como o artista modernista do sul, que marcou com sua produção múltipla e radical o cenário local e nacional. Sua obra transcendeu fronteiras e ganhou reconhecimento internacional e o artista foi considerado ícone do modernismo das artes plásticas brasileiras. Contudo, hoje, na sua terra, parece ser ignorado, como se a importância de seu legado fosse sendo apagada pouco a pouco do estudo e da História da Arte local. Entendemos que sua obra deve ser colocada na sua merecida dimensão. Para essa exposição Lecy Fisher, Marta Maiocchi, Paula De Conto, Sônia Seibel, Susie Prunes, Helio de Souza F. e Mario Cladera apresentam um conjunto de trabalhos em diversos materiais; pedra, bronze, terracota, ferros e resinas, compondo um mosaico sobre o universo e temas da obra de do mestre Vasco Prado, tendo a figura humana e o cavalo como imagens provocadoras de abordagens que discorrem sobre o homem, a terra e  suas lendas: um reconhecimento a transcendencia da obra deste artista que ecoa perene na paisagem plástica e visual do sul. Durante o período da exposição será promovido  um encontro a ser divulgado, reunindo pessoas que conviveram com o artista com o objetivo de ampliar o debate e reflexão sobre a importância da obra do escultor Vasco Prado.  Texto de Mario Cladera

NA CIRCULAÇÃO: 

A CIDADE QUE SE QUER  JACQUELINE CUSTÓDIO
ABERTURA 11/11/2015, às 19:30   VISITAÇÃO 12/10 a 11/12/2015, das14 às 20h.

A questão urbana vem tornando-se cada vez mais complexa: a maior parte da população do planeta já vive nas cidades; as mudanças climáticas são uma realidade que assusta a todos. Fica cada vez mais evidente que temos que repensar nossas cidades e a relação que temos com elas. E inspiradas naquilo que crianças querem para Porto Alegre, foram feitas essas imagens. A partir da proposição da professora da 5ª série de duas escolas – uma pública e outra particular -, os alunos foram desafiados a escrever um parágrafo, colocando nele seus sonhos e desejos de uma cidade ideal. Tarefa difícil colocar, em imagens, a imaginação e a realidade de crianças entre 10 e 11 anos, que observam o lugar onde vivem e têm, para com ele, expectativas distintas. Contudo, os muitos desejos em comum desenharam uma cidade limpa, segura, alegre. As mudanças já começam a dar sinal: os espaços públicos são ocupados e ressignificados, a população procura seu espaço nas decisões que vão alterar a configuração urbana, novas soluções são experimentadas. Mas é essencialmente das crianças a Porto Alegre do futuro.

NAS ÁREAS EXTERNAS: 

GEOMETRIA ORGÂNICA  MARCOS VAANDRADE

ABERTURA 11/11/2015, às 19:30   VISITAÇÃO 12/10 a 11/12/2015, das14 às 20h.

Marcos VAANDRADE é ilustrador e escultor, natural de Porto Alegre RS e para comemorar seus vinte anos de trabalho em diversas áreas das artes visuais, criou uma coleção de obras intitulada Geometria Orgânica, onde combina suas habilidades de escultor e designer para compor suas peças. Para a exposição na Galeria Espaço IAB RS o artista selecionou algumas das primeiras peças criadas para esta coleção.

Read Full Post »

unnamed

Read Full Post »

Uma ação de zelo, carinho, amor e pertencimento ao Patrimônio.

A Defender – Defesa Civil do Patrimônio Histórico com o apoio institucional do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado – IPHAE RS traz ao Rio Grande do Sul, a Oficina Oficina Zeladoria do Patrimônio Cultural – Uma ação de zelo, carinho, amor e pertencimento ao Patrimônio, ministrada pelo Estúdio Sarasá, em comemoração ao Dia Nacional do Patrimônio Histórico (17 de agosto).

A oficina apresenta um novo olhar sobre a conservação do Patrimônio Cultural Edificado, para ser trabalhado pelo sociedade e comunidade local em conjunto com o poder público e entidades privadas.

O Estúdio Sarasá é uma empresa paulista que atua nas áreas de consultoria, conservação e restauro, projetos e zeladoria que promove o desenvolvimento de métodos, técnicas e experiências de conservação e restauro para a assessoria de instituições públicas e privadas, como prefeituras, secretarias de gestão na área cultural, museus, igrejas, escritórios de arquitetura, construtoras, gestores do patrimônio cultural, organizações sociais, entre outros.

O texto a seguir é do arquiteto Carlos Lemos, reconhecido por seus projetos, docência e valioso triunfo na área da pesquisa histórica, das artes e preservação do Patrimônio, ao conhecer a proposta de zeladoria apresentada pelo Estúdio Sarasá:

O curso Zeladores do Patrimônio vem em boa hora, pois a nosso ver, sua idealização é mais que oportuna dada a desinformação geral existente a respeito da conservação de bens culturais arquitetônicos de interesse histórico ou artístico.

É generalizado o emprego da palavra “restauração” para designar intervenções em bens tombados, sem que se atine o verdadeiro significado da palavra. Com certeza, restaurar significa recuperar as condições técnico-construtivas originais. Significa voltar à volumetria e aos acabamentos genuínos da construção preservada. Isso é extremamente difícil de se conseguir, pois muitas técnicas construtivas já estão em desuso; muitos modos de fazer já estão completamente esquecidos e as razões de ser de alguns acabamentos estão fora do nosso entendimento.

Sobretudo na ocasião da troca de programas de necessidades por causa do desaparecimento no cotidiano contemporâneo das funções originais, devido antes de tudo ao progresso, é que surgem as dúvidas sobre a preservação de setores ou espaços remanescentes. Tal dificuldade quase sempre decorre do estado de conservação do bem cultural vitimado pela ausência de sua originalidade aqui e ali em razão do descuido de quem espera acontecer para depois remediar. Por isso tudo vê-se que o zelo é primordial porque, em qualquer situação, ele é a garantia de autenticidade e, assim, dispensa-se de vez a restauração propriamente dita.

Carlos A. C. Lemos
São Paulo, 27 de fevereiro de 2014.

Serviço:

Oficina Oficina Zeladoria do Patrimônio Cultural – Uma ação de zelo, carinho, amor e pertencimento ao Patrimônio

Dia: 17 de agosto de 2015 (Dia Nacional do Patrimônio Histórico)
Horário: das 8h30 às 12h30
Local: Auditório do Centro Cultural CEEE Erico Verissimo
Rua dos Andradas, 1223
Centro Histórico – Porto Alegre – Rio Grande do Sul

Inscrições:

Valor individual: R$ 35,00 (trinta e cinco reais)

Valor individual para associados da Defender: R$ 20,00 (vinte reais)

Maiores informações: defender@defender.org.br ou 51.3723.1637 – 51.8682.3211 e inscrição na página da Defender aqui

Fonte: Defender

Read Full Post »

« Newer Posts - Older Posts »