Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘5º Região Museológica’ Category

Dissertação
Universidade Federal de Santa Maria
Programa de Pós-Graduação em Patrimônio Cultural


Autor: Liriana Zanon Stefanello
Orientador:  Padoin, Maria Medianeira
Nível:  Mestrado Profissionalizante


RESUMO


Ao longo dos tempos e da história, observamos a transformação de muitas concepções e da própria sociedade. Isso é percebido, por exemplo, nas compreensões de patrimônio cultural, de história e de museu. Nesse sentido, esse estudo apresenta os fundamentos históricos da importância da instituição museológica enquanto um referencial de memória, de história e dessa forma de identidade de uma comunidade. Comunidade identificada, nesse estudo, como sendo a Quarta Colônia Imperial de Imigração Italiana do Rio Grande do Sul e, especificamente, do Município de Nova Palma. Assim, a partir da perspectiva que os descendentes de imigrantes italianos elegem como traços culturais que os identificam com seus antepassados e com a Itália, os elementos da cultura material e imaterial tornam-se um patrimônio cultural que poderá ser encontrado na instituição museológica, local de sua materialização. Partindo disso, uma das formas de preservação do patrimônio mencionado é o museu, compreendido como um local de memória que interage e representa a comunidade a qual pertence. Por isso, para que essa comunidade se sensibilize e entenda seu papel social de lutar pela preservação do patrimônio cultural é fundamental uma exposição. Dessa forma, este trabalho de dissertação de mestrado, pretende, por meio de dois capítulos, com base em fontes bibliográficas, documentais e iconográficas, tratar das questões referentes às concepções de patrimônio cultural, história, memória e identidade, bem como sintetizar o processo histórico do município de Nova Palma, ressaltando a importância do Centro de Pesquisas Genealógicas (CPG) como uma instituição que possibilita e incentiva a preservação da memória e da história desse município. A partir disso, apresentamos uma proposta de criação do museu histórico municipal e de uma sensibilização da comunidade local, por meio da exposição, para integrar a luta pela concretização desta instituição.

Para acessar o documento completo CLIQUE AQUI

 

Anúncios

Read Full Post »

Esqueleto incompleto de ancestral dos dinossauros foi encontrado há um mês Crédito: GABRIEL DE MELLO / DIVULGAÇÃO / CP

Foi apresentado ontem o fóssil completo do superpredador Prestosuchus, que data do período Triássico, há 238 milhões de anos. O paleontólogo da Ulbra Canoas Sérgio Cabreira e o biólogo da Ulbra Cachoeira Lúcio Roberto da Silva mostraram os detalhes da descoberta, feita em um terreno fossilífero no município de Dona Francisca, na Quarta Colônia Italiana do Estado.

A localização ocorreu há um mês, após chuvas que expuseram parte do fóssil. O material foi tombado no acervo do Museu de Ciências Naturais da Ulbra. Os pesquisadores apresentaram à imprensa o fóssil, que está quase completo, no local em que foi achado. O esqueleto incompleto é de um animal que teria 7 metros de comprimento e 900 quilos. O grupo do réptil é considerado ancestral dos dinossauros. “Eram incríveis predadores”, destaca Cabreira. As rochas sedimentares do local da escavação correspondem a um lago primitivo, onde os herbívoros daquele tempo se reuniam para matar a sede e então eram emboscados e atacados. Uma análise mostra que, logo após a sua morte, o animal foi soterrado rapidamente. Os especialistas afirmam que o achado tem enorme importância, com repercussão internacional, pois o conjunto completo poderá dar informações amplas sobre o animal. Os pesquisadores da Ulbra integram projeto da Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação associado ao Museu de Ciências Naturais da universidade, que se baseia na constituição de acervo fossilífero e atividades de museologia.

Fonte:

http://www.correiodopovo.com.br

Read Full Post »

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

CURSO DE MUSEOLOGIA

DISCIPLINA: TÓPICOS ESPECIAIS EM DOCUMENTAÇÃO MUSEOLÓGICA

Professora: Ana Maria Dalla Zen

Aluna: Micheli Pereira de Souza


A 5ª Região Museológica do Rio Grande do Sul é composta por setenta e um municípios, tendo sua sede na cidade de Santa Maria. Sua área de abrangência compreende a região central do Estado até parte do oeste e noroeste do Rio Grande do Sul.

No atual Guia de Museus do Rio Grande do Sul, organizado pelo SEM-RS, estão registrados para essa região cerca de quarenta museus.

Está prevista para o ano de 2010, a implantação do curso de Museologia pela Universidade Federal de Santa Maria. Universidade esta, que já conta com um programa de Mestrado Profissionalizante em Patrimônio Cultural, o que pode ser considerado um ponto favorável à 5ª Região Museológica, pelo suporte acadêmico no sentido de pesquisa e extensão que a Universidade pode realizar junto às instituições museológicas registradas sob a abrangência da 5ª Região.

A Região possui diversas tipologias de museus, o que é outro ponto interessante. Essas instituições vão desde Museus Históricos, como por exemplo, o Museu Getúlio Vargas, de São Borja, que é um museu-casa, e que contém em seu acervo objetos pessoais, fotos, documentos e registros da trajetória política de Getúlio.

Há também os Museus Histórico-antropológicos, como os museus de imigrantes, por exemplo, encontrados nas cidades de São João do Polêsine (Museu do Imigrante Italiano Padre João Iop) e o Museu do Imigrante de Silveira Martins. Ambas cidades localizam-se na 4ª Colônia de Imigração Italiana, que é uma região marcada fortemente pela imigração, sobretudo italiana, e isso se reflete na arquitetura, culinária, danças e cultura em geral, o que torna a região bem atrativa do ponto de vista turístico.

Ainda sob o viés de museus Histórico-antropológicos, temos o Museu Treze de Maio – Museu Afro-Brasileiro de Santa Maria, que prima pela preservação da identidade negra na cidade de Santa Maria, sobretudo do bairro do Rosário.

Temos ainda nessa região Museus de Arte e Arte Sacra, como o MASC, em Santa Cruz, o Museu de Arte de Santa Maria e o Museu de Arte Sacra de Rio Pardo, por exemplo.

Ainda museus que oferecem trilha ecológica, como o da Antiga Fazenda São José, em Cachoeira do Sul.

Há também Museus de Ciência, como o Gama d’Eça da UFSM, em Santa Maria.

Museus de temática campeira, como o Museu Ergológico de Estância, localizado em São Borja.

Ainda: Museus Paleontológicos e Arqueológicos, como o Museu Paleontológico e Arqueológico Professor Walter Ilha, localizado na cidade de São Pedro do Sul, no centro do estado, região conhecida por seus sítios paleontológicos.

A Região conta até com um museu de temática ufológica, que é o Museu Internacional de Ufologia, História e Ciências Victor Mostajo, que está situado na pequena cidade de Itaara, e que em oito anos de existência, já recebeu cerca de 130 mil visitantes, e é um dos museus mais visitados do interior do Estado.

O que se observa é que a 5ª Região Museológica do Rio Grande do Sul tem características bem interessantes na linha patrimonial, arquitetônica, histórica e cultural, e mesmo de turismo, o que significa um grande potencial a ser explorado e evidenciado também na área museológica. As condições, aparentemente, podem ainda melhorar bastante, no sentido de ampliar o número de instituições,  cadastrar as que provavelmente encontram-se ainda sem registro,levantar as condições de funcionamento das já existentes e com isso melhorar cada vez mais a cena museológica dessa região.

Read Full Post »