Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘IPHAN’

A Constituição Federal de 1988 no seu artigo 216 garante a proteção e salvaguarda o patrimônio cultural. Contudo, o Estado deixa ser considerado, judicialmente, o único ente a dirigir as políticas, a sociedade é, agora, admitida como participante essencial no processo de preservação. Seguindo esta ideia, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) disponibiliza para download uma nova ferramenta deEducação Patrimonial: Inventários Participativos. 

O lançamento é um desdobramento do Programa Mais Educação, realizado em parceria com o Ministério da Educação (MEC), nas escolas públicas do Brasil, com o objetivo de fazer com que os alunos identificassem suas referências culturais. O uso nesses espaços fez com que a sociedade se apropriasse deste instrumento para além dos muros das escolas e fosse usado por grupos e comunidades a partir de uma linguagem que se comunica com os indivíduos, contudo sem formalizar o reconhecimento por parte das instituições oficiais de preservação.

O acesso ao Inventário Participativo é livre, podendo ser utilizado sem a necessidade de autorizações ou cessão de direitos. A ideia é fomentar a discussão sobre patrimônio cultural, disponibilizando mais uma forma de acesso da comunidade para que identifique e trave uma relação de conhecimento com suas referências culturais. Ainda, aborda o entendimento de elementos como território, convívio e cidade como possibilidades de constante aprendizado e formação, associando valores como cidadania, participação social e melhoria de qualidade de vida.

O patrimônio como desenvolvimento econômico e social e a comunicação como meio de interlocução social são pontos de ação do Iphan para os próximos anos. Dessa maneira, os inventários participativos se enquadram em uma abordagem contemporânea do patrimônio, em que a educação não é “bancária”, como abordava Paulo Freire, funcionando como um depósito de informações. Neste caso, a educação patrimonial propõe o questionamento e a produção do conhecimento dialógico, no qual a comunidade possa conversar entre si e pensar suas referências culturais.

A coordenadora de Educação Patrimonial do Iphan, Sônia Rampim Florêncio, acredita que foi dado um passo importante para se concretizar o processo de empoderamento da sociedade, uma vez que o instrumento é um caminho, uma ferramenta mas o conhecimento e a valoração é feita em sua totalidade pelas pessoas, pelo cotidiano dos indivíduos e sua relação coma cultura.

Experiência
Mestre em educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Alessandra Gama, utilizou o inventário, ainda no âmbito do Programa Mais Educação, com o Coletivo Salvaguarda da Capoeira de Campinas, que reuniu 12 grupos. O trabalho de inventariar as referências culturais, o exercício documental e de pesquisa impactou os processos de apropriação das expressões culturais que envolvem a capoeira e, agora, estão sendo sistematizados esses dados para que sejam apresentados à sociedade.

Alessandra Gama diz que a experiência reverberou na salvaguarda do patrimônio cultural e “despertou a noção de pertencimento a partir de uma prática mais educativa que tenha a ver com a cultura local, com a valorização da comunidade local tem a importância nas duas esferas para os bens culturais reconhecidos e para os bens que não necessariamente serão alvo de políticas públicas”.

Dessa maneira, o inventário participativo, pautado na política de educação patrimonial, passa a ser um instrumento multiplicador que resulta na produção de conhecimento por meio de diversas perspectivas.

O Inventário Participativo é uma ferramenta para a mobilização social em torno das referências culturais. Ele nasceu como um material pedagógico para o Programa Mais Educação, portanto, direcionado ao contexto escolar. No entanto, sua apropriação pela sociedade civil e pelas comunidades se deu por demandas espontâneas. Tivemos notícia de que Pontos de Cultura, Pontos de Memória, comunidades indígenas e quilombolas já estavam auto inventariando suas referências culturais utilizando o Material do Programa Mais Educação. Foi daí que surgiu a ideia de transformar a linguagem do inventário, inicialmente preparado para as escolas, e direcioná-los para as comunidades e pra toda sociedade. Acreditamos muito no caminho de fortalecimento do protagonismo das comunidades em evidenciar a cultura como eixo de desenvolvimento local.

Acesse a publicação AQUI

Fonte: IPHAN e Defender

Anúncios

Read Full Post »

Foram publicados os primeiros artigos e verbetes no ‘Dicionário IPHAN de Patrimônio Cultural’, disponível no novo portal do IPHAN – http://portal.iphan.gov.br/.

A versão online será constantemente aperfeiçoada, no decorrer do processo de elaboração da obra.

O dicionário é uma obra de construção coletiva e será anualmente ampliada com novas edições, em função das novas contribuições.

Convidamos todos a conhecer o dicionário acessando o link: http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/1026.

Essa será uma obra de grande valia para todos que trabalham ou se interessam pelo campo da Preservação no Brasil.

Participem dessa construção!

Patrimônios Imateriais

 

Educação Patrimonial

 

Patrimônio Material

 

Fonte: IPHAN PR

Read Full Post »

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) abre espaço em seu sítio eletrônico para a publicação de artigos, resenhas e ensaios voltados às temáticas de preservação, salvaguarda e valorização do patrimônio cultural brasileiro, seus reflexos no Brasil, assim como suas correlações no plano internacional.

Pesquisadores, profissionais independentes ou vinculados às instituições de preservação, ensino e pesquisa, além de servidores do Iphan, podem participar da seleção que privilegiará artigos, inéditos ou não, que tenham o caráter de referência para estudos e pesquisas na área, bem como os que versem sobre ações, práticas e desenvolvimento de políticas inovadoras de fomento à preservação cultural.

Os artigos deverão ser enviados pelo e-mail daf@iphan.gov.br. Aqueles que forem aprovados por equipe de especialistas designada pela Presidência do Instituto e coordenada pelo Diretor do Departamento de Articulação e Fomento (DAF-Iphan) ficarão em destaque no Portal institucional por no mínimo cinco dias e comporão um arquivo permanente para consulta.

Acesse o edital por aqui

Fonte: IPHAN

Read Full Post »

O curso será direcionado para técnicos do Iphan com interesse direto nas atividades do Projeto, e membros do seu Comitê Gestor projeto de Valorização da Paisagem Cultural e do Parque Histórico das Missões Jesuíticas dos Guaranis (RS).

Iniciativa decorre de Projeto de Cooperação Internacional e conta com expertise espanhola.

Dando continuidade às atividades do projeto de Valorização da Paisagem Cultural e do Parque Histórico das Missões Jesuíticas dos Guaranis, acontece entre 04 e 06 de março, em Porto Alegre (RS), a primeira etapa da colaboração entre o Instituto Andaluz del Patrimonio Histórico (IAPH) – órgão de Patrimônio Cultural da Junta da Andaluzia, Espanha -, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e a Representação da UNESCO no Brasil. O curso Paisagem e Patrimônio Cultural – Introdução à Leitura Patrimonial da Paisagem, conduzido pelo IAPH, fará uma introdução ao conceito de Paisagem Cultural e critérios metodológicos para sua identificação e análise, subsidiando a programação dos estudos sobre a paisagem na Região das Missões.

No curso serão apresentadas metodologia desenvolvida pelo Instituto Andaluz para caracterização de paisagens culturais, bem critérios de intervenção correspondentes, utilizando dois estudos de caso: as paisagens da Enseada de Bolonia e do Centro Histórico de Sevilha, onde o IAPH desenvolveu ferramentas de apoio à gestão, entre elas o denominado Guia da Paisagem.

O curso será direcionado para técnicos do Iphan com interesse direto nas atividades do Projeto, e membros do seu Comitê Gestor.

Fonte: IPHAN e Defender

Read Full Post »

IPHAN lança edital de apoio e fomento aos Bens Culturais Registrados como Patrimônio Cultural do Brasil

Estão abertas até 24 de agosto de 2014, no Portal dos Convênios – SICONV, as inscrições para envio de propostas ao Edital  de Chamamento Público para Apoio e Fomento à Salvaguarda de Bens Registrados – 2014.  Poderão enviar propostas entidades públicas ou privadas sem fins lucrativos. As propostas deverão contemplar ações de apoio e fomento para os bens culturais Registrados como Patrimônio Cultural do Brasil ou para bens culturais associados ao contexto de ocorrência destas práticas culturais, com proposição de atividades de mapeamento, pesquisa, produção bibliográfica e audiovisual, ações educativas, de formação, de intercâmbios entre mestres e grupos culturais para trocas de saberes, qualificação, transmissão de saberes tradicionais, organização de apresentações culturais, apoio à organização e à mobilização comunitárias, estruturação de espaços culturais, promoção da utilização sustentável dos recursos naturais, dentre outras.

Os recursos destinados a este chamamento público são da ordem de R$ 1.400.000,00 e serão distribuídos em três categorias:

• 1 projeto de até R$ 450.000,00 para salvaguarda dos bens culturais do povo indígena Karajá, que possui dois bens culturais reconhecidos como Patrimônio Cultural do Brasil: Saberes e Práticas Associados aos Modos de Fazer Bonecas Karajá, inscrito no Livro dos Saberes, e Rtixòkò: expressão artística e cosmológica do Povo Karajá, inscrito no Livro das Formas de Expressão;
• 2 projetos de até R$ 245.000,00 para bens Registrados em geral, e;
• 5 projetos de até R$ 75.000,00 para bens Registrados em geral.

Os bens culturais Registrados como Patrimônio Cultural do Brasil são aqueles inscritos em um ou mais de um dos seguintes livros: Livro de Registro dos Saberes, para os conhecimentos e modos de fazer enraizados no cotidiano das comunidades; Livro de Registro de Celebrações, para os rituais e festas que marcam vivência coletiva, religiosidade, entretenimento e outras práticas da vida social; Livro de Registros das Formas de Expressão, para as manifestações artísticas em geral; e Livro de Registro dos Lugares, para mercados, feiras, santuários, praças onde são concentradas ou reproduzidas práticas culturais coletivas. A lista de bens culturais Registrados encontra-se disponível neste portal (http://portal.iphan.gov.br/portal/montarPaginaSecao.do?id=12456&retorno=paginaIphan)

Projetos aprovados e não contemplados por estarem fora do limite orçamentário comporão banco de projetos do Departamento do Patrimônio Imaterial – DPI e, caso haja ampliação da disponibilidade de recursos, poderão firmar convênio com o IPHAN até o fim de 2014.

Edital de Chamamento Público n° 03/2014
Anexo 1
Anexo 2
Anexo 3
Anexo 4
Anexo 5
Anexo 6
Anexo 7
Anexo 8

 

Fonte: IPHAN

Read Full Post »

Palestra do Arquiteto Eduardo Hahn – atual superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN no Rio Grande do Sul, durante o II Encontro Patrimônio Cultural e Desenvolvimento, evento nacional realizado pela Defender nos dias 14, 15 e 16 de agosto de 2013, em Porto Alegre (RS). A exposição de Hahn aconteceu no dia 14 de agosto, às 14 horas, último dia como diretor do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado do Rio Grande do Sul (IPHAE RS).

Read Full Post »