Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Memorial RS’

noitemuseus

Porto Alegre recebe no dia 21 de maio a Noite dos Museus. O evento promove um circuito de visitação a oito museus da capital em horário especial, das 19h à meia-noite, em uma experiência que contempla arte e mobilidade urbana. O projeto tem o patrocínio da Telefônica Vivo por meio da plataforma Vivo Transforma e conta com a curadoria do historiador e arqueólogo Francisco Marshall (UFRGS). Foram selecionados o Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS), Museu de Arte Contemporânea (MACRS), Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo, Museu da UFRGS, Memorial do Rio Grande do Sul, Planetário, Pinacoteca Ruben Berta e Fundação Iberê Camargo. A entrada é gratuita.

Além de estarem abertos com as exposições de acervo e temporárias, os espaços terão uma programação musical especialmente selecionada por Marshall com estilos que harmonizam com a linguagem de cada local. O MARGS, por exemplo, receberá música de câmara com atrações como o Quinteto Porto Alegre, formado por instrumentistas do naipe de metais da OSPA, enquanto o Planetário terá conjuntos musicais, que remetem a constelações, como o grupo Marmota Jazz.

Os músicos farão pocket shows no interior dos museus e circularão pela capital se apresentando em mais de um local, trazendo uma experiência disruptiva com o comum para a cidade. Também participam do projeto os violinistas Camilo da Rosa Simões e Brigitta Calloni, o violonista Maurício Marques, os fagotistas Fábio Mentz e Adolfo Almeida, o músico pop experimental Yanto Laitano, o flautista Leonardo Winter, o pianista e compositor Dimitri Cervo ao lado da soprano Andiara Mumbach, o pianista Renato Borba, o guitarrista Nicola Spolidoro, o grupo Irish Fellas,Elias Barboza Quinteto, além do cravo Fernando Cordella com a soprano Cíntia de Los Santos.

A relação do projeto com a música e a inclusão cultural foi o que motivou a Telefônica Vivo a apoiar o projeto. “A Vivo acredita no poder da conexão para transformar a vida das pessoas. Por isso, investe em projetos como o Noite dos Museus, que promove a democratização do acesso à cultura e o envolvimento da comunidade em uma agenda diferenciada e de acesso gratuito” revela a diretora de Gestão Responsável e Sustentável da Telefônica Vivo, Heloísa Genish.

As visitações contam com apoio de monitores do Curso de Museologia da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação (Fabico), coordenados pela Profa. Dra. Lizete Dias de Oliveira, em um projeto de extensão da UFRGS. A iniciativa ainda pretende integrar as experiências da cidade, trazendo oportunidades de que o público conheça novos meios de se deslocar à noite. Serão indicadas diversas opções de circulação pela capital que incluem caminhos de ciclovia para percorrer de bicicleta, trajetos a pé e linhas de ônibus.

Realizado pela primeira vez no Brasil pela produtora Rompecabezas, a Noite dos Museus é inspirada no já tradicional evento europeu Lange Nacht Der Museen (A Longa Noite dos Museus), que existe há 19 anos em Berlim, na Alemanha. A iniciativa tem como objetivo incentivar a visitação de museus da Capital, atraindo novos públicos, e mostrando à população que conhecer um espaço de memória está longe de representar uma visita a um local estático, responsável apenas por conservar relíquias. É uma verdadeira festa dos museus na cidade!

Com esta proposta, crianças, jovens e adultos poderão percorrer as diferentes salas de exposições, apreciar suas coleções, assistir a visitas guiadas, além de desfrutar gratuitamente de diferentes apresentações musicais. “Os museus educam por associações múltiplas, despertando intuições, evocativamente, misturando lembranças imprecisas com fortes impressões. São espaços que refletem as subjetividades de uma cidade e de uma história pluricultural múltipla”, reflete Rodrigo Nascimento, diretor da Rompecabezas.

VIVO TRANSFORMA
O projeto Noite dos Museus integra a plataforma Vivo Transforma, criada pela empresa em 2015 para promover a democratização do acesso à cultura e o envolvimento das comunidades em iniciativas voltadas essencialmente à música. Em 2016, serão mais de 90 projetos apoiados por meio das leis de incentivo fiscal, em diferentes regiões do país, com foco em transformação social, revelação de novos talentos e valorização da cultura nacional. Somente no Rio Grande do Sul, um dos principais estados contemplados, a Telefônica Vivo prevê aplicar mais de 5 milhões de reais em pelo menos dez projetos e beneficiar milhares de pessoas, entre artistas e público participante.

ROMPECABEZAS
A Rompecabezas é uma empresa focada em live entertainment e branded content responsável pela criação, produção e realização de eventos que proporcionam experiências diferenciadas e que conectam pessoas, em que a música destaca-se como a sua principal plataforma. Com mais de sete anos de atuação, a Rompecabezas é responsável também pela produção de grandes artistas e companhias internacionais, a exemplo de Fuerza Bruta, Julieta Venegas, Carla Bruni, Fito Paez, Café de los Maestros, dentre outros.

NOITE DOS MUSEUS #1
Sábado, dia 21 de maio de 2016, das 19hs à meia noite
Circuito de visititação de museus de Porto Alegre em horários diferenciados.
Classificação etária: Livre
Realização: RompeCabezas Entretenimento Produtora
Patrocínio: Vivo
Financiamento: Pró-Cultura RS – Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Apoio institucional: Prefeitura Municipal de Porto Alegre e Casa de Cultura Mario Quintana

Evento: http://bitly.com/NoitedosMuseus_POA
Facebook: Noite dos Museus
Site: www.noitedosmuseus.com.br

Informações e dúvidas pelo telefone (51) 3398 4175 ou pelo email contato@rompecabezas.com.br

LOCAIS
>>> Museu de Arte do Rio Grande do Sul – MARGS
Praça da Alfândega – Centro Histórico – Porto Alegre/RS
>>> Memorial do Rio Grande do Sul
Praça da Alfândega – Centro Histórico – Porto Alegre/RS
>>> Museu de Arte Contemporânea – MACRS
Rua dos Andradas, 736 – Centro Histórico – Porto Alegre/RS
>>> Pinacoteca Ruben Berta
Rua Duque de Caxias, 973 – Centro Histórico – Porto Alegre/RS
>>> Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo
Rua João Alfredo, 582 – Cidade Baixa – Porto Alegre/RS
>>> Museu da UFRGS
Av. Osvaldo Aranha, 277 – Bom Fim – Porto Alegre/RS
>>> Planetário
Av. Ipiranga, 2000 – Santana – Porto Alegre/RS
>>> Fundação Iberê Camargo
Av. Padre Cacique, 2000 – Cristal – Porto Alegre/RS

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO MUSICAL COMPLETA DO EVENTO
Museu de Arte do Rio Grande do Sul – MARGS – Música de câmara
– Quinteto Porto Alegre formado por grupo de metais da OSPA, de muito impacto
– Camilo da Rosa Simões e Brigitta Calloni com duo de violinos, virtuoses
– Maurício Marques, violonista virtuose interpretando música do Rio Grande do Sul

Museu de Arte Contemporânea – MACRS – Música contemporânea
– Fábio Mentz e Adolfo Almeida, fagotistas da OSPA, com improvisos pela área expositiva
– Yanto Laitano, músico pop com elementos de vanguarda musical
– Nicola Spolidoro, guitarrista

Pinacoteca Ruben Berta – Música para piano e voz, e piano solo
– Dimitri Cervo no piano e a soprano Andiara Mumbach
– Renato Borba, com piano brasileiro

Memorial do Rio Grande do Sul – Música étnica e nostálgica
– Quinteto Porto Alegre formado por grupo de metais da OSPA, de muito impacto
– Conjunto Irish Fellas, com música tradicional irlandesa em formato blue grass
– Elias Barboza Quinteto, fina flor do choro em Porto Alegre
– Marmota Jazz, conjunto de jazz instrumental

Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo – Choro, música de Porto Alegre e folclore
– Elias Barboza Quinteto, fina flor do choro em Porto Alegre
– Maurício Marques, violonista virtuose com repertório de milongas
– Conjunto Irish Fellas, com música tradicional irlandesa em formato blue grass

Planetário – Com conjuntos musicais, constelações
– Fernando Cordella (cravo) e Cíntia de Los Santos (soprano)
– Marmota Jazz, conjunto de jazz instrumental
– Nicola Spolidoro, guitarrista

Museu da UFRGS – Com músicos da UFRGS
– Leonardo Winter, com solo de flauta transversa
– Dimitri Cervo no piano e a soprano Andiara Mumbach
– Camilo da Rosa Simões e Brigitta Calloni com duo de violinos, virtuoses

Fundação Iberê Camargo – Música moderna e contemporânea
– Camilo da Rosa Simões e Brigitta Calloni com duo de violinos, virtuoses
– Leonardo Winter, com solo de flauta transversa
– Maurício Marques, violonista virtuose com obras de Villa-Lobos
– Fábio Mentz e Adolfo Almeida, fagotistas da OSPA, com improvisos pela área expositiva

Anúncios

Read Full Post »

O conserto foi feito voluntariamente pelo engenheiro Clark Dipp

Quando a Praça da Alfândega era ponto de embarque nos bondes puxados a burro e a Rua da Praia principal local do footing das donzelas da cidade, o tempo era marcado pelo grande relógio existente na torre do prédio projetado pelo arquiteto alemão Theo Wiedersphan e construído entre os anos de 1910 e 1914, que hoje abriga o Memorial do Rio Grande do Sul.

Os anos correram e o velho relógio marcou hora por hora a transformação do centro da Capital. Era por ele que os homens acertavam seus ômegas de bolso e os jornalistas do Correio do Povo e Diário de Notícias contavam os segundos para jogar conversa fora na Rua da Praia e partir para a tradicional “canja da madrugada” nos restaurantes do Mercado Público.

Segundo a diretora do Memorial, Maria Helena Nunes, “quando o prédio foi construído, pouquíssimas pessoas usavam relógio e os trabalhadores do cais, dos Correios e outros frequentadores do centro da cidade tinham o ‘cebolão’ como referência. Ninguém se atrasava. O Memorial do Rio Grande do Sul foi o primeiro prédio público a ostentar um relógio”.

O historiador Fábio Sosa lembra que, nos últimos dois anos, o relógio se manteve parado por falta de manutenção especializada. Neste mesmo período, o engenheiro Clarck Dipp vem, voluntariamente, fazendo tanto a manutenção como a pesquisa sobre o objeto. “Atualmente, Dipp está realizando a troca do sistema elétrico que aciona o peso que mantém a máquina em funcionamento”, explica Soza.

Além disso, o engenheiro busca o ajuste perfeito, regulando o peso do pendulo: liga-se o relógio na hora certa e, passados alguns dias, verifica-se o atraso ou o adianto. Preso por uma rosca, o peso do pêndulo deve ser “encurtado” para reduzir o atraso, e “alongado”’ para resolver o adianto.

Este processo pode levar dias ou até mesmo semanas até conseguir-se o ajuste perfeito. “É um trabalho de esmero e dedicação realizado por Clarck Dipp, um conhecedor e aficionado por essas máquinas”, destaca Maria Helena Nunes.

Sobre o relógio – Uma coluna alta de ferro sustenta o conjunto, formado por algumas engrenagens, o pesado e comprido pêndulo e quatro hastes, de pouco mais de três metros, que fazem os ponteiros girarem nos quatro mostradores – um em cada face do edifício.

No pêndulo estão gravadas as letras J, W, F, a sigla do fabricante alemão. É nesta peça que está parte do segredo que faz o aparelho funcionar. É assim: outra peça, chamada âncora, une-se a uma roda dentada. Esse conjunto entra em ação a partir de um pequeno motor que, de hora em hora, aciona um peso de ferro que põe toda a engrenagem em movimento. A roda passa a girar, e cada espaço entre um dente e outro corresponde a um segundo. O pêndulo é responsável por manter o impulso constante, que se transmite às hastes e aos ponteiros.

Fonte: Secretaria da Cultura RS

Read Full Post »

Será inaugurado nesta terça-feira (1º/4) em Porto Alegre o Museu dos Direitos Humanos do Mercosul (MDHM), com uma mostra que une arte, cidadania e engajamento político-social. O novo espaço expositivo da Capital vai ocupar o antigo prédio dos Correios e Telégrafos, na Praça da Alfândega – dividindo espaço com o Memorial do Rio Grande do Sul (Memorial RS) e o Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul (AHRS).

Com curadoria de Marcio Tavares – diretor do novo museu –, a coletiva Deus e sua obra no sul da América: A experiência dos direitos humanos através dos sentidos reúne obras de dezenas de artistas brasileiros e estrangeiros, ocupando 13 galerias nos três andares do edifício. As adaptações recentes do belo prédio no centro histórico incluíram a construção de galerias de exposições, salas de montagem, nova museografia e iluminação.

A primeira etapa das reformas foram realizadas para receber a Bienal do Mercosul, em 2013. Ainda neste ano, está programada a modernização da Sala de Pesquisa do espaço e a adaptação da área de acervo do museu – incluindo uma reforma completa do auditório.

A cerimônia de inauguração do MDHM nesta terça-feira, às 18h30min, contará com a presença de autoridades brasileiras, argentinas, uruguaias e chilenas – além de apresentação musical do uruguaio Daniel Drexler e do gaúcho Ernesto Fagundes que cantarão músicas de seus repertórios e temas emblemáticos do cancioneiro latino-americano.

Fonte: Click RBS – Bloger Lerina

Read Full Post »