Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Pinacoteca Aldo Locatelli’

Sobre o pintor, desenhista, gravador e arquiteto Carlos Mancuso, pode-se dizer que sua relação com a técnica da aquarela é quase uma simbiose: “senti na aquarela a alegria da espontaneidade, a leveza da linguagem, a rapidez da execução, a ela se liga muito meu temperamento, com essa possibilidade de transparência e luminosidade”. Mancuso nasceu em Porto Alegre em 1930 e na mesma cidade faleceu em 2010. Foi aluno de João Faria Viana e como artista recebeu várias premiações ao longo da carreira.

 Carlos Mancuso, sem título, aquarela, sem data, 30 x 40 cm, coleção Heitor Bergamini, foto Clóvis Dariano.

Carlos Mancuso, sem título, aquarela, sem data, 30 x 40 cm, coleção Heitor Bergamini, foto Clóvis Dariano.

No ofício de arquiteto, Carlos Mancuso chefiou a equipe de restauração do Theatro São Pedro e atuou nas restaurações do Solar dos Câmara e do Solar Lopo Gonçalves. Era profundo conhecedor do Barroco chegando a escrever um livro sobre o tema em 1972. Mesmo no exercício profissional de sua atividade de arquiteto utilizava a aquarela para executar esboços e projetos. Mostrou também um grande talento para o magistério, sendo professor por muitos anos das disciplinas de estética e de história da arte no Instituto de Artes e na Faculdade de Arquitetura da UFRGS.

Carlos Mancuso, sem título, aquarela, sem data, 34 x 44,5 cm, coleção Heitor Bergamini, foto Clóvis Dariano.

A exposição que abrirá na Pinacoteca Aldo Locatelli no dia 20 de dezembro, sob curadoria da professora Blanca Brites, contará com 33 aquarelas de Carlos Mancuso, distribuídas em duas temáticas: paisagens e natureza mortas. Todas as obras são oriundas dos acervos do colecionador Heitor Bergamini, da família Mancuso, de Alfredo Nicolaiewsky e da Pinacoteca Barão de Santo Ângelo da UFRGS. A realização da mostra é da Coordenação de Artes Plásticas da Secretaria da Cultura de Porto Alegre e, assim como as exposições “A Escrita Se Fez Imagem – Simões Lopes Neto Ilustrado por Nelson Boeira Fraedrich”, “A Voz das Cores – Aquarelas de José Lutzenberger” e “Um Vôo Livre – aquarelas de Norberto Stori”, foi pensada com o intuito de destacar artistas que obtiveram êxito em suas pinturas sobre o papel.

 Carlos Mancuso, sem título, aquarela, sem data, 35 x 49,5 cm, coleção Ricardo Mancuso, foto Clóvis Dariano.

Carlos Mancuso, sem título, aquarela, sem data, 35 x 49,5 cm, coleção Ricardo Mancuso, foto Clóvis Dariano.

 

SENSÍVEL LEVEZA – Carlos Mancuso

Pinacoteca Aldo Locatelli – Paço dos Açorianos

Praça Montevidéu, 10 – Centro Histórico – Porto Alegre

abertura: 20 de dezembro, terça-feira, 19h

visitação: até 27 de janeiro de 2017

segunda a sexta, das 9h às 12h e das 13h30 às 18h

acervo@smc.prefpoa.com.br / [55] (51) 3289 3735

Anúncios

Read Full Post »

As recentes doações de obras de arte de Jones Bergamin, marchand gaúcho que reside no Rio de Janeiro, para a Pinacoteca Aldo Locatelli, serão expostas a partir do dia 23 de junho no Paço dos Açorianos, sede da Prefeitura de Porto Alegre.

FZ_D800E_9952
Intitulada “Scliar – Ouro Preto”, a mostra com curadoria de Renato Rosa, propiciará ao público vislumbrar um políptico, composto por dez pinturas datadas de 1973 que retratam a cidade mineira de Ouro Preto, famosa por sua arquitetura colonial. Também integram a exposição um álbum de serigrafias, produzidas por Carlos Scliar no final da sua vida, e que traz uma série de representações de motivos florais, além de gravuras e desenhos assinados pelo artista que já pertenciam ao acervo da Pinacoteca Aldo Locatelli.
O gaúcho Carlos Scliar (Santa Maria, 1920 – Rio de Janeiro, 2001) foi um dos mais ardorosos defensores do modernismo no Brasil, ciente do papel social da arte e que soube com maestria surpreender com suas composições de formas e espaço, tanto nas pinturas, quanto nas gravuras e desenhos. A abertura da exposição, na quinta-feira, 23 de junho, contará com a presença de Elio Scliar, neto do artista.

Exposição SCLIAR – OURO PRETO
Sala Aldo Locatelli – Paço dos Açorianos
Praça Montevidéu, 10 – Centro Histórico – Porto Alegre
abertura: 23 jun 2016, quinta-feira, 18h30
visitação: até 5 ago | seg a sex, das 9h às 12h e das 13h30 às 17h30
acervo@smc.prefpoa.com.br / 3289-3735

JUSTIFICATIVA : A VIDA, A ARTE, por CARLOS SCLIAR (*)

Pinto porque gosto. Pintar é minha preocupação constante, inclusive quando não estou pintando. Todos os dias descubro algo. Gosto de mostrar meus quadros e me surpreendo permanentemente com a reação das pessoas. Pinto porque gosto e quero me comunicar. O pintor é um homem dentro do mundo, com suas responsabilidades acrescidas pela possibilidade especial de comunicação e atuação. É pela pintura que o pintor melhor se entende com o público e, se não for o caso, que faça outra coisa. Cada um diz o que sabe, como pode. Diariamente, podemos aprender a melhor e a mais profundamente transmitir nossa visão das coisas. Acho que não há forças capazes de impedir que a humanidade avance na conquista de uma vida mais digna e bela para todos. Tento, através dos meus quadros, transmitir minha confiança no homem e na sua luta, mostrando que a vida é bela e merece ser conquistada. Cada um diz o que sabe e como pode. Todos os dias conhecemos melhor o que nos rodeia. Não perder o fio da meada é fundamental. O fio começa conosco, pintores, quando nascemos, e tomamos consciência naquele instante em que percebemos que será através de um traço, das cores e das formas que poderemos dizer algo que resuma nosso amor à vida…. Não gosto de falar sozinho. Considero-me um homem rico da experiência de todos os homens, de todos os tempos. Se puder transmitir esse calor não será inútil minha presença. Transformo minhas estadas em Ouro Preto e Cabo Frio em laboratórios de liberdade… Gostaria de me comunicar com todo o mundo. Utilizo todos os meios para por meus quadros em contato com o público: exposições, reproduções, televisão, cinema, tudo o que permite sentir esse calor que destrói o isolamento. Tento renovar, aclarar minha expressão. Utilizo tudo que ajude essa minha sede de melhor e mais profunda expressão, mas é condição que me corresponda… O homem não é um ser passivo, a inércia não leva senão a uma repetição mecânica… Acredito no trabalho constante, na liberdade que nasce do conhecimento, no respeito ao homem e na sua luta positiva. O artista pode ser um instante poético, lúcido e estimulante de amor ao homem.

(*) in “SCLIAR O Real em Reflexo e Transfiguração”, de Roberto Pontual, Editora Civilização Brasileira, 1970.

Read Full Post »

A partir desta semana, no Paço dos Açorianos, conhecido como a “Prefeitura Velha”, será apresentada uma seleção de obras de arte da Pinacoteca Aldo Locatelli que apresentam representações da capital dos gaúchos. Datadas do século XIX até a contemporaneidade, as obras são assinadas, entre outros autores, por Libindo Ferrás, Angelo Guido, Benito Castañeda, Gastão Hofstetter, Edgar Koetz, Paulo Chimendes e Maristela Salvatori.

Angelo Guido “Mercado de Porto Alegre” - 1935 óleo sobre cartão - 49,0 x 60,5 cm Foto: Cylene Dallegrave

Angelo Guido
“Mercado de Porto Alegre” – 1935
óleo sobre cartão – 49,0 x 60,5 cm
Foto: Cylene Dallegrave

Num mundo em transformação acelerada poucas coisas podem dar a mesma sensação de estabilidade do que estar diante de uma exposição de paisagens. A principio, as paisagens se mantem em uma dimensão essencial, é o que está diante de nossos olhos. No entanto, não são a crueza de realidade que parecem ser: sua solidez de expressão guarda a matéria intangível das narrativas, ou seja, são também uma forma pessoal de contar o que foi visto. A imagem cristalizada diante de nós, se produzida em outro dia, noutra estação, em outro ano ou por outro artista, outra seria. Mais do que as realidades retratadas, deixam escapar ou simplesmente sussurram sobre o universo simbólico de seus criadores.
Por andarem de mãos dadas com o tempo podem as paisagens angustiar e causar espanto. A cidade que está lá não é a mesma que nos cerca. Algumas das obras da exposição falam de uma Porto Alegre tão distante no tempo, que nos é difícil até mesmo imaginar. Outras obras, no entanto, mostram elementos que identificam paisagens de longa duração e ainda hoje presentes na configuração espacial da cidade.
Se por metáfora enxergarmos a cidade como um corpo, são as paisagens mostradas marcas que dão o sentido de tempo, pode-se dizer que Porto Alegre não seria o que é não fossem as imagens do que já foi.

Pedro Vargas

Paço dos Açorianos – Praça Montevidéu, 10
Centro Histórico – Porto Alegre
De 02 de junho a 1º de agosto de 2014
segunda a sexta, das 9h às 12h e das 13h30 às 18h
Informações: acervo@smc.prefpoa.com.br
(51) 3289-3735 / (51) 3289-3643

Paisagens de Porto Alegre

relação de artistas

Affonso Silva

Jair Dias

Alice Fortes

João Faria Viana

Angelo Guido

José de Francesco

Arlete Santarosa

Juan Ruiz de Luna

Benito Castañeda

Libindo Ferrás

Edgar Koetz

Luiz Brasil

Francis Pelichek

Maria di Gesu

Francisco Filsinger

Maristany de Trias

Gastão Hofstetter

Maristela Salvatori

Glaé Macalós

Otaviano Furtado

Giovanni Falcone

Paulo Chimendes

Haydéa Santiago

Paulo Olszewski

Hélios Seelinger

RIZOMA (coletivo)

J. Madaloni Berton

i Rodolfo Marik

José de Francesco

Torquato Bassi

 

Read Full Post »

AL_1125

Notável não apenas pelo legado físico em si, mas também pelo exemplo gerado, o ato de doação tem enriquecido a Pinacoteca Aldo Locatelli. Ano após ano são agregadas obras reveladoras de diversos momentos da produção artística local. E fazendo jus a esta longa história, um significativo conjunto de obras de arte foi doado ao Acervo do município de Porto Alegre ao longo de 2013.

Todas as propostas de doação passaram pela Coordenação de Artes Plásticas, órgão da Secretaria da Cultura integrado por especialistas das áreas de artes plásticas, museologia e história, que avaliaram a incorporação de cada nova peça. Os limites do espaço físico para guarda e para exposição determinaram selecionar apenas uma representativa parcela de um universo profícuo, mutante e quase infinito.

A mostra MAIS+ apresenta o legado de diversos artistas, familiares e colecionadores. Generosamente, estes benfeitores ofereceram um presente para a Cidade na forma de um patrimônio cultural a ser usufruído pelos porto-alegrenses e pelos visitantes da capital sulina. E por este motivo permanecerá exposto com destaque no Paço dos Açorianos durante as comemorações do aniversário de Porto Alegre.

EXPOSIÇÃO MAIS +
Pinacoteca Aldo Locatelli
De 24 de fevereiro a 25 de abril de 2014
Segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h30 às 18h
Paço dos Açorianos – Praça Montevidéu, 10 – Centro Histórico – Porto Alegre
Contato: (51) 3289-3735 ou acervo@smc.prefpoa.com.br

Exposição MAIS +

relação de artistas

Adriano Rojas

Bruno Borne

Carlos Krauz

Carlos Wladimirsky

Eduardo Haesbaert

Eloisa Tregnago

Esther Bianco

Gutê

Hô Monteiro

Humberto Dutra

Iberê Camargo

Ismael Monticelli

Magliani

Maria Di Gesu

Maristela Salvatori

Marta Loguércio

Nelson Machado

Norberto Stori

Paulo Pasta

Saint-Clair Cemin

Sandro Ka

Ubirajara Félix

Fonte:  Secretaria da Cultura/Porto Alegre

Read Full Post »